REPRESENTATIVIDADE

Estou para escrever esse texto tem semanas, mas sempre o coloco de lado, por mexer em uma ferida que vira e mexe se é aberta. Mas hoje, tirei a ideia do papel e, mesmo em meio a lágrimas, resolvi escrever esse texto tão atual e tão pessoal. Por isso, não chamo de post, mas de uma conversa entre você – meu leitor – e eu!

Continuar lendo “REPRESENTATIVIDADE”

Uma série para adoçar o coração.

Final de semana meio chuvoso e em plena quarentena, o que assistir. Estou no meio da primeira temporada de The Purger na Amazon, mas queria algo mais leve e que me proporcionasse aquele quentinho no coração, sabe?

E no meio da minha pesquisa na Netflix, encontrei Sweet Magnolias!

Continuar lendo “Uma série para adoçar o coração.”

Me jogando em Vi Keeland

Já tinha tempos que eu não investia em um Romance Hot. Tempos que não tinha mais paciência para tanta cena de sexo sem sentido e casais rasos perante o caos. Mas, em um grupo de leitura, TODAS falavam incrivelmente bem desse casal de Vi Keeland que eu resolvi que não gostaria de ficar de fora.

Então, contrariando a minha vontade de mergulhar em outro livro hot, resolvi conhecer O Jogador.

Se me arrependi?

Continuar lendo “Me jogando em Vi Keeland”

Sylvia Day, por que nos decepciona?

Vamos falar do mais novo livro da Sylvia Day? Vamos sim! Depois de alguns anos ‘longe’ das prateleiras, a autora de Crossfire reaparece com seu mais novo romance: Um novo coração: Butterfly in Frost, com aparição especial de Eva e menção a Gideon, que tinha tudo para nos arrebatar. Mas só tinha mesmo, porque ficou na promessa apenas

Continuar lendo “Sylvia Day, por que nos decepciona?”

Mister, um mistério de história que não me agradou!

Antes de tudo, eu sei que muita gente não vai gostar dessa resenha. Sei que muita gente não vai se interessar ou me achar injusta, mas eu preciso dizer que perdi preciosas horas da minha vida com esse livro!

Segura a emoção que eu vou te explicar porque essa história é uma mistura de nada com coisa nenhuma e sexo no meio!

Continuar lendo “Mister, um mistério de história que não me agradou!”

De fã para fã: Uma carta sobre Jane The Virgin

Sou apaixonada por novelas desde a infância. Principalmente as mexicanas. Tenho certeza de que isso foi ponto central pra que eu, depois de 2 anos já conhecendo a série, finalmente me rendesse a ela. Se você ainda não conhece a série, dá uma conferida em outro post nosso, que é esse aqui ó: https://literalialista.wordpress.com/2017/11/24/jane-the-virgin/

E o que te fez cair de amores, Jojo?

Mas, o que me fez apaixonar por Jane foi algo muito além.
Jane The Virgin foi a série que tocou minha vida de uma forma que eu nunca pensei que aconteceria. Quando comecei a assistir, eu me identificava com a Jane por tudo que compunha a personagem. É conforme o tempo passou, eu percebi, era a série da minha vida. Era a minha vida sendo descrita em uma série.

Jane tem uma profunda ligação com a família. Eu também. É algo inexplicável a conexão que tenho com meus pais e irmãos.
O ponto mais importante em comum é a questão da religiosidade. Católica desde pequena, devota da Virgem de Guadalupe, o fervor da Alba me foi reconfortante durante os dias mais difíceis. Eu lembrei que havia alguém ali pra mim é esse alguém era minha mãe do céu, minha Virgem Maria.
Falando da parte romântica, as histórias de amor da nossa querida heroína são meio parecidas com a minha. Nunca deu certo com ninguém antes de Michael e, quando ele chegou em sua vida, foi aquele amor de novela, parecendo ter sido coisa do destino. Comigo também foi assim, mas o final da história não foi tão belo quanto o de nossa querida personagem vai ser.

Jane teve Michael, Rafael, Adam e Fabian. Eu tive meu Michael (que às vezes era um pouco Rafael.) E quando ele foi embora da minha vida, assim como foi com Jane quando Michael “morreu”, meu mundo desabou. Mas Joh, como assim?

O término foi extremamente difícil pra mim, por ele ter sido meu primeiro amor. Primeiro amor e primeira decepção. Ah, mas Joh, se ele te decepcionou, por que tá contando isso?

Eu hoje conto por quê graças a Jane the Virgin eu não entrei em depressão durante 2018. Passei por dias muito ruins, principalmente quando confirmamos que minha mãe de criação tem Alzheimer. O que JR passou eu só sinto na pele. É doloroso demais pra mim, mas essa série, ah, essa série me ajudou muito nesses tempos difíceis. Enquanto chorava por não aceitar a perda, a doença da minha mãe e todos os outros problemas à minha volta, Jane the Virgin me ajudava e reanimava.

Eu reassisti todos os episódios e consegui ter força pra lutar. Não que eu já esteja 100%, mas eu tô 70% melhor, com a ajuda da terapia.

É como eu disse, assim como Jane, eu tenho uma família que é minha base, meu suporte. Meus pais biológicos e de criação são fantásticos! Tenho amigas que são como Petra e Jane são uma pra outra. Tenho amigas como a Lina também. Mesmo distantes, elas são extremamente importantes na minha vida.

Essa série me ajudou nos piores dias, repito. Me trouxe sonhos de volta, como o sonho de publicar meu livro. É, assim como Jane, eu sou escritora. E assim como ela, tô escrevendo um livro sobre a minha história. Esse livro eu escrevo desde agosto se 2017. A série comecei em outubro. Na mesma época conheci meu Michael, mas como a vida me pregou uma peça enorme, eu não consegui mais escrever. Passei quase o ano todo entre lagrimas, dor e qiase me afundei.

Jane foi um dos motivos pra eu conseguir submergir.

Infelizmente tem uma coisa ainda não conseguindo digerir. Só de pensar em ter de mudar o nome de uma das figuras centrais do meu livro é doloroso, pois me dói muito saber que eu tô deixando uma parte da minha vida pra trás. É como se eu mudasse o ponto central da história: a arte virando realidade. Pois o que aconteceu no livro acabou acontecendo comigo. Com a diferença de que o final que eu planejo não vai acontecer na vida real.

Novamente falando sobre o livro, se você não quer, então porque vai mudar, Jo? Bem, a resposta é simples. O nome do personagem é o mesmo do meu ex namorado. E como dói contar uma história tão parecida com a real. Como dói. E novamente, Jane me ensinou a ser forte. Mas, eu hoje sei de algo muito importante: Ser feliz sozinha é imprescindível. E eu, mesmo com tanto problema, sou feliz e só tenho a agradecer a Deus por tudo nessa vida.

Sabem, eu vejo tudo que Jane viveu e eu penso “Eu preciso continuar esse livro. Eu preciso finalizar e publicar ele.” Jane superou cada medo dela e me ensinou a lutar por mim e pelos meus sonhos. Me lembrou da coragem que eu necessito ter. Coragem essa que eu aprendi a ter com Once Upon a time, outra das minhas séries favoritas.

Com Alba e Rogelio eu aprendi que nunca é tarde demais para conquistar o que a gente mais deseja, mas que, no processo, a gente precisa analisar as portas que se abrem e se fecham e entender quando é livramento, quando é perda.
Enfim, esses últimos quase dois anos assistindo Jane me ajudaram de uma forma que eu jamais vou poder agradecer.

Eu aprendi a amar o cast. Amar a mim mesma e a minha vida. E entendo que algumas mudanças são dolorosas demais nas nossas vidas, e que acontecem pra gente compartilhar de alguma forma. Espero que em breve eu venha aqui contar sobre a finalização e publicação do livro pra vocês.
Obrigada, CW, Gina, Justin, Brett e a todo o elenco por esse maravilhoso show. Foi a melhor “novela mexicana” (na verdade Venezuelana), que eu já vi na vida.
Thank u.
Love, Joana.

Meu amor por esse cast será eterno ❤

Uma seleção pra lá de especial!

Dia dos namorados  chegou e com ele aquela dúvida do que fazer no dia mais romântico do ano.

Se você está namorando, tem toda aquela programação: jantar fora ou em casa, qual presente, o que assistir, etc. Se você é solteiro é a vez do combo brigadeiro + Netflix para passar a noite com outra pessoa favorita da sua vida: você mesma!

Independentemente do que você escolha fazer, um bom filme nunca pode passar despercebido. Por isso, eu tenho o orgulho de apresentar um Top 10 Comédias Românticas. Confesso que deixei uns de fora mas eu volto outro dia com a continuação dessa lista deliciosa!

Continuar lendo “Uma seleção pra lá de especial!”

Dez Filmes para assistir agarradinho com o mozão no dia dos namorados!

O dia mais romântico do ano chegou e nós aqui do Literalialista resolvemos aquecer seu dia dos namorados trazendo uma ótima dica para você que vai a noite ao lado do love e quer ficar bem juntinho de quem você ama!


No dia dos namorados muitos casais saem para jantar, pegam um cineminha, por isso os shoppings e restaurantes costumam ficar muito cheios, o que acaba atrapalhando muito os planos da galera, que depois de tanto procurar um cantinho para celebrar o amor resolve voltar para casa. E é nesse momento quando o casal regressa ao lar e decide assistir um filme surge o dilema: O que assistir ? Para facilitar a escolha, nós montamos uma lista com vinte opções cinematográficas, divididas em duas listas – Uma criada por mim, Joana e a outra pela Bianca Senna – para encher com mais romance o ninho de amor de cada casal.

  • Querido John

Começamos com um dos queridinhos. Muita gente é fã do autor Nicholas Sparks e ele faz TODO mundo chorar com seus livros. Querido John é aquele filme do coração, dispensa muitas palavras pois é super conhecido do público e, além de ser apaixonante é um filme que não pode faltar em uma lista como esta. Se você nunca assistiu, por favor, corre e assiste. De preferência, leia o livro também, pois é maravilhoso. Prepare os lenços, você vai chorar. E não é pouco.

  • A dama e o Vagabundo
Lady e Tramp na mais doce e famosa cena de romance do filme.

Escolhi um dos clássicos mais lindos que a Disney já produziu e que todo mundo deve assistir uma vez na vida. Quem não se apaixonou pela icônica cena do macarrão de “A dama e o Vagabundo”? No longa de 1955 contamos a história de Lady e Tramp, que se conhecem quando a cadelinha tem seus destinos cruzados. É um filme que dispensa falar muita coisa acerca, pois o melhor é mesmo assistir. É um clássico da animação e da comédia, tanto romântica, quanto musical e com certeza vai te deixar suspirando com tanta fofura

La La Land – Cantando estações

O Filme levou vários prêmios e é tido como um dos melhores musicais já produzidos

La La Land é um daqueles filmes pra quem realmente AMA musicais. O longa conta a história de Mia e Sebastian e como se deu inicio o romance entre o casal. O final é surpreendente e com certeza ou você vai ficar cheio de amores ou cheio de raiva, pois o fim não é exatamente como achamos que será. – Sem Spoilers, deixo vocês imaginando.

Moulin Rouge

Satine é uma cortesão francesa. A mais famosa do Moulin Rouge. É justamente por ela que nosso herói, o jovem poeta, Christian. A produção é recheada de versões de canções famosíssimas como “All you Need is Love”, dos Beatles e Your Song, do Elton John (minha favorita nesse filme). Ewan McGregor e Nicole Kidman arrasam no filme inteiro, deixando a gente de queixo caído com tanta paixão, tanto amor e tanto Cancan!

Amantes Eternos

Tilda Swinton e Tom Hiddleston formam um casal nada convencional nesse filme que conta a história de um casal de vampiros que vive uma relação que ultrapassa os séculos com muito amor e cumplicidade. Porém algo ameaça esse romance. Ou melhor, alguém. Para não dar spoilers, vamos deixar você assistir ao filme e descobrir quem é a pessoa que ameaça e se surpreender com o final deste filme maravilhoso.

Enquanto você dormia

Esse é o meu favorito desde que me entendo por gente! A comédia romântica estrelada pela rainha Sandra Bullock e pelo ator Bill Pulman conta a história de Lucy, uma mulher solitária, funcionária do metrô de Chicago e que vê sua vida virar de cabeça para baixo ao salvar a vida de Peter, um passageiro que sofre um assalto e jogado nos trilhos do trem. Peter é resgatado com sucesso, porém fica em coma. E é aí que toda a loucura começa na vida de Lucy. Acontece que, no hospital é dito que ela era a namorada dele e quando isso ocorre, a família de Peter basicamente “adota” Lucy, que passa a não ser mais solitária. Porém, se você imagina que o filme termina com Peter acordando e se apaixonando pela nossa heroína, eu adianto uma coisa: Você vai se surpreender com o final deste filme que tem 24 anos de lançado e ainda assim, é um dos maiores sucessos da carreira da nossa eterna Miss Simpatia.

Amizade Colorida

Se você é fã do Justin Timberlake, deve assistir a essa comédia romântica. No longa a personagem de Mila Kunis (Jamie) convence o diretor de arte Dylan a aceitar uma vaga de emprego em Manhattan. Os dois acabam desenvolvendo uma relação amistosa após descobrirem o tanto de coisas que existem em comum entre os dois. Como ambos já haviam experimentado relacionamentos com finais infelizes, decidem se divertir juntos sem se apaixonar. Porém as coisas se tornam mais complicadas quando eles passam a ter relações sexuais, se tornando “amigos com benefícios”. Isso tudo faz com que a relação entre os dois se torne bem quente e divertida e no final… Bem, eu vou deixar você assistir sem contar o que acontece no final.

Juntos Pelo Acaso

Eu lembro até o hoje o dia em que conheci essa maravilhosa comédia romântica. Gente, eu nunca ri e chorei tanto com um filme (até então eu não tinha chorado rios com titanic, pois era criança quando assisti a primeira vez ). Nesse dia, Katherine Heigl e Josh Duhamel me conquistaram mais que o crush, que tava do meu lado assistindo, rs. O filme conta a história de dos dois melhores amigos de um casal que morre num terrível acidente e deixa a filha sob tutela dos padrinhos. Holly e Messer, que já haviam tido um encontro desastrado planejado por seus amigos Peter e Alison – Os pais da pequena Sophie – se odiavam desde então, porém agora vão precisar se unir para criar a afilhada. Ao longo do tempo muitas coisas acontece, e eles passam a se tornar mais próximos. Porém nenhum deles esperava que o mais improvável fosse ocorrer e eles se apaixonassem…

O melhor de mim

Esse é mais um filme para os fãs de Nicholas Sparks. O autor de romances que te deixaram chorando em posição fetal, como “Um amor para recordar” e “A Escolha” teve mais um de seus livros transformados em filme e mais uma vez foi sucesso. Nele, a história de um casal que se reencontra vinte anos depois de se apaixonarem perdidamente durante a primavera de 1964 e terem se separado posteriormente por conta do destino. O reencontro durante um funeral faz com que os sentimentos se aflorem novamente no coração de ambos. Neste momento ambos precisam avaliar o que sentem e decidir se embarcam novamente e revivem esse amor ou seguem suas vidas em separado.

Simplesmente Acontece

Se você não chorou com esse filme, eu te sugiro que assista novamente. A produção conta a história de Alex e Rosie, amigos inseparáveis que cresceram juntos em Londres. Eles compartilham tudo que acontece com o outro porém, a vida muda quando ele ganha uma bolsa de estudos e vai morar nos EUA. Mesmo com a separação, eles dão um jeito de manter contato e se conectar. Então percebem que, quando se trata de amor, as escolhas são mais difíceis de serem feitas, pois a mais simples das escolhas pode não ser de fato a correta para si.

Como eu disse no inicio desse post, a Bia tem mais dez filmes para vocês se divertirem nessa noite do dia dos namorados. Então chama o mozão e garante o chamego da noite proposta para hoje!. Feliz dia dos namorados a todos os casais. Viva o amor em todas as suas formas!

Fiquei com seu número e suas risadas!

Sabe aqueles momentos que tudo que você mais precisa e deseja é uma história que te arranque várias risadas, daquelas que você chega chorar de tanto rir com a barriga dolorida? Uma história que tenha aquele romance água com açúcar que te deixa suspirando a cada página?

Sophie Kinsella é a autora que você precisa conhecer para embarcar nessas aventuras. Se você já a conhece, vai se identificar – e muito – com essa resenha, mas caso não: Prazer, Sophie!

Continuar lendo “Fiquei com seu número e suas risadas!”

Blindspot: o mistério por detrás das tatuagens

Eu não tenho a menor ideia do motivo que me fez demorar tanto para recomendar essa série. Suspense policial, ação, romance e humor, Blindspot é uma daquelas séries dignas de maratonas. E com o inverno chegando eu sei que, como eu, você fica procurando dicas para se enrolar nas cobertas e se deixar levar por uma boa história. Então Blindspot é para você!

Continuar lendo “Blindspot: o mistério por detrás das tatuagens”