Clube do Livro, Desafio Literário 2016, dicas de livro, Editora Arqueiro, Lançamentos nos cinemas, Lista Literária, Novidades, Personagens, Próximas resenhas, romance de época, romances de época, Uncategorized

Ligeiramente seduzidos

Ligeiramente Seduzidos_16mm.indd

A Mary Balogh já me arrasou com o primeiro livro da série “Os Bedwyns”, Ligeiramente casados. Eu caí de amores pela Eve e pelo Aidan e devorei o livro em dias, gente.E agora ela me chega com o quarto livro da série, entitulado “Ligeiramente seduzidos”. É claro que eu já tô louca pra ler. Mas cês sabem, né, vida de estudante em ano de formatura é tenso. HAHAHAHA.
Nem por isso eu vou deixar vocês sem conhecer um pouquinho desse livro. Tô trazendo a sinopse amorzinho pra vocês e espero que curtam e leiam por mim.
Jovem, estonteante e nascida em berço de ouro. É apenas isso que Gervase Ashford, o conde de Rosthorn, enxerga em Morgan Bedwyn quando a conhece, num dos bailes da alta sociedade inglesa em Bruxelas.

Em circunstâncias normais, ele não olharia para ela duas vezes – prefere mulheres mais velhas e experientes. Porém, ao saber que Morgan é irmã de Wulfric Bedwyn, a quem Gervase culpa pelos nove anos que passou longe da Inglaterra, decide que ela é o instrumento perfeito para satisfazer seu desejo de vingança.

Mas Morgan, apesar de jovem e inocente, também é independente e voluntariosa e, assim que entende as intenções do conde, se prepara para virar o jogo e deixar claro que não se deixará manipular por ninguém.

Em Ligeiramente seduzidos, quarto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos brinda com mais uma história fascinante. Em uma trama repleta de traição e vingança, escândalo e sedução, ela mostra que o caminho para o amor pode ser difícil, mas que a recompensa faz cada passo valer a pena.

****

– A senhorita é uma feiticeira – disse ele. – Inverteu a situação. Jogou meu próprio jogo e teve uma conversa filosófica comigo quando eu estaria flertando com a senhorita. Mas não é tão fácil me distrair dos meus instintos. Tenho que lhe roubar um beijo.

– Ah, o senhor não vai roubar nada.Vim até aqui com o firme propósito de ser beijada. O senhor não foi nada esperto, lorde Rosthorn. Beije-me.

Por alguns instantes, o conde não se moveu. Então, afastou-se da árvore e segurou o rosto dela entre as mãos.

Seus lábios, ao tocarem os dela, estavam quentes, macios, e o toque foi leve como o de uma pluma. Em seguida, ele os roçou nos dela, lambendo-os de leve, mordiscando o lábio inferior, então passando a língua pela parte de dentro, explorando a região úmida e sensível.

Os efeitos do beijo, descobriu Morgan, não se restringiram à área dos lábios. Ela sentiu a boca ansiando por mais, então os seios e a parte interna das coxas. Quando ele enfim afastou o rosto, Morgan compreendeu como um simples beijo podia ser perigoso. Tinha brincado com fogo. Talvez o conde houvesse ganhado aquele round de hostilidades, afinal.
Me contem depois o que acharam, tá?
XOXO,

fb_img_1454582772314.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s